Resenha: Uma Mulher Livre, Danielle Steel

Título: Uma Mulher Livre
Título Original: A Good Woman
Autora: Danielle Steel
Editora: Editora Record
Páginas: 294
Compre: Amazon
Livro cedido pela editora
Dos deslumbrantes salões de baile de Manhattan para os horrores da Primeira Guerra Mundial, Danielle Steel nos leva para um mundo fascinante de uma jovem de espírito indomável. Nascida numa vida de luxo e glamour, Annabelle Worthington carrega o sobrenome, e a nobreza, de uma das famílias mais influentes de Nova York. Até que, num dia cinzento de abril, o Titanic afunda, levando junto o seu mundo. Seus pais e seu irmão mais velho estavam na viagem inaugural do majestoso navio, e apenas sua mãe sobreviveu. Para tentar confortar seu coração, Annabelle se voluntaria para trabalhar em um hospital, ajudando a cuidar dos enfermos, onde descobre sua verdadeira vocação. E, quando um homem nobre a pede em casamento, ela acredita que, enfim, voltará a ter dias felizes. Porém, novamente, o destino lhe prega uma peça, colocando-a no centro de um escândalo. Para fugir da tristeza que sua vida se tornou, ela vai para a Europa trabalhar no front da Primeira Guerra Mundial, ajudando a salvar os feridos. Na França, no auge do conflito, Annabelle consegue realizar um grande sonho: estudar medicina. O problema é que, mais uma vez, sua fé é colocada à prova, e ela precisará tentar retirar forças de uma grande tragédia se quiser renascer para uma nova vida. Com uma narrativa de tirar o fôlego e repleta de detalhes históricos, Danielle Steel nos apresenta uma de suas personagens mais fascinantes e singulares, e sua história inspiradora de dignidade, coragem e amor pela vida.

Se tem uma palavra que eu usaria para definir este livro, é DECEPÇÃO.

Essa resenha terá alguns spoilers que estarão escritos em VERMELHO, você pode lê-los ou não, mas se ler vai entender melhor meus sentimentos em relação ao livro.

Uma Mulher Livre é um romance histórico que se inicia com o naufrágio do Titanic e se estende até depois da Primeira Guerra Mundial e conta a história de Annabelle, uma jovem da alta sociedade nova iorquina que perde o pai e o irmão no naufrágio do Titanic, a mãe também estava lá, mas sobreviveu.
Annabelle fica sabendo da tragédia através dos jornais, já que não foi viajar porque estava doente.

No período de luto que dura um ano, em que não poderia frequentar a sociedade, suas companhias além da mãe são sua melhor amiga Hortie que está para se casar e Josiah, homem distinto que trabalha no banco da família, e que apesar de ser quase 20 anos mais velho que Annabelle se torna um bom amigo e é com quem ela vem a se casar.

Apesar de Annabelle e Josiah serem aos olhos da sociedade o casal perfeito, e ele de fato ser um bom marido, o casamento não chega a ser consumado e termina com um escândalo que transforma Annabelle em uma pária da sociedade.

Infeliz com tudo que aconteceu, a forma que seu casamento terminou e outras coisas que aconteceram, ela que seu sonho secreo era ser médica, parte para a França, a fim de ser voluntária em algum hospital de campanha durante a Guerra (ela já fazia trabalho voluntário em NY junto com a mãe).



E quando as coisas parecem finalmente entrar nos eixos, algo terrível acontece e muda sua vida novamente.
Annabelle é uma mulher forte e lida muito bem com as adversidades e com todo o sofrimento.

Até aí tudo bem, a autora tem uma escrita leve e fluída e isso gostei bastante, mas o que me incomodou profundamente, foi algo que aconteceu com Annabelle na França.

O trecho a seguir em VERMELHO é spoiler e dos grandes, pule se preferir :)

Com tudo que a personagem já perdeu na vida, a autora não achou suficiente e acrescentou um estupro à lista de tragédias na vida da Annabelle, detalhe que ela ainda era virgem, e não bastasse isso, a autora narra a cena de um modo geral, e o resultado disso além do sofrimento da Annabelle, é um gravidez, forçando-a a mudar sua vida e contar inúmeras mentiras para se preservar. Todos sabemos o que as mulheres sofriam com julgamentos e ainda sofrem né?
Ela decide ter o bebê e se afeiçoa a filha apesar de tudo.
E em certo momento do livro, a autora diz que de certa forma Annabelle sempre seria grata ao estuprador por ter tido a filha. Achei demais e não gostei.
Acho que a autora poderia ter colocado a situação de outra forma, já que Annabelle teria uma filha, poderia ter sido fruto de um caso com algum soldado. Sei lá, a coisa toda não me desce e pra mim estragou  história.

Pronto, acabou o spoiler, mas enfim, pra quem o leu, talvez entenda o meu ponto. Eu acho que algumas coisas em alguns livros são desnecessárias e com isso o autor estraga uma boa história, como foi o caso.
Se a autora tivesse tomado outro rumo com essa questão que não gostei, eu teria tido uma visão completamente diferente do livro, que tinha tudo pra ser bom, afinal, começou bom, teve descrições e situações interessantes, com uma personagem forte e determinada que sempre procura o melhor para si mesma, e a autora vai lá e pá! Detona tudo.
Mas apesar disso, eu gostei do final do livro, acho que Annabelle merecia um final digamos assi, digno para ela.
-Nós nunca sabemos o que vai acontecer - murmurou ele. -Tem que ser grata pelo que tem, pelo tempo que tiver. O destino é imprevisível, e às vezes não sabemos o quanto somos abençoados até que as coisas mudam.

22 comentários:

  1. Ai, Angel. Quando eu vi essr livro pela primeira vez eu logo me interessei por ele, mas me lembro da sua reação enquanto estava lendo e perdi a vontade. Lendo a resenha percebi que tinha tudo para ser um bom livro mesmo mas esse fato também não me desce e já não tenho a menor vontade de ler, ainda mais porque parece que a autora romantizou a situação. Gostei muito da sua resenha, tanto pela sinceridade quanto pela maneira com que você abordou a história e mostrou seu ponto de vista.

    ResponderExcluir
  2. Ai, Angel. Quando eu vi essr livro pela primeira vez eu logo me interessei por ele, mas me lembro da sua reação enquanto estava lendo e perdi a vontade. Lendo a resenha percebi que tinha tudo para ser um bom livro mesmo mas esse fato também não me desce e já não tenho a menor vontade de ler, ainda mais porque parece que a autora romantizou a situação. Gostei muito da sua resenha, tanto pela sinceridade quanto pela maneira com que você abordou a história e mostrou seu ponto de vista.

    ResponderExcluir
  3. Olá,
    Não basta a coitada sofrer por causa da guerra, tem que também sofrer por um estupro rsrs
    Não sei também se gostaria para o lado que autora levou a trama, pois pela sinopse me interessei bastante pelo fato de se tratar da Segunda Guerra, assunto que gosto muito.
    A ambientação parece ser interessante. Não sei se vou ler, mas adorei a resenha.

    http://leitoradescontrolada.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  4. Oi, Angélica!

    Eu já li 3 livros de Daniele na minha vida e amei os 3.
    Fiquei super curiosa quando vi esse e até já o tenho aqui.
    Faz muitos anos que não leio nada dela, então estou curiosa pra saber se ainda vou gostar quando começar a ler.
    Espero não ter perdido meu encanto pela escrita da autora.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Olá,

    Confesso que tenho pouco interesse nesse livro, pois já li outras obras da autora e simplesmente não funcionou, a escrita dela não fluiu bem comigo. Ainda assim reconheço que a premissa é bem interessante e capa maravilhosa, mas vou passar a dica.

    Abraços
    Cá Entre Nós

    ResponderExcluir
  6. Olá, Angélica. Essa autora é muito bem recomendada e eu tenho uma enorme vontade de ler um de seus livros. Me interessei bastante pela história desse livro, ia ler seu spoiler, mas decidi não o ler, já que pretendo fazer a leitura do livro.
    Fiquei bem ansiosa para saber o que acontece com a Annabelle, pelo visto ela sofreu bastante. Ótima dica!

    Beijo,
    http://pactoliterario.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  7. Olá!
    A premissa do livro é boa e tudo mais, mas depois de saber que a autora ainda acrescentou outra desgraça na vida da personagem, passo a leitura. É apelação demais. "Sempre vai ser grata ao estuprador" wtf?
    Certeza que não quero fazer essa leitura.
    Ótima resenha!
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Oiii lindinha, como vai?
    infelizmente dessa vez a obra em si não despertou meu interesse, não sou muito acostumada a ler esse tipo de livro, mas preciso dizer que sua resenha ficou um arraso e aedição está linda.
    Beijinhoss

    ResponderExcluir
  9. Oie,

    A obra não despertou instigação sabe? mas a capa é muito linda. Acredito que depois que eu li Eu vejo Kate não tenho estômago para leitura assim.

    ResponderExcluir
  10. Nossa quando soube desse livro fiquei muito curiosa para ler, mas lendo sua resenha agora me fez pensar se eu teria estômago para isso. Odeio me decepcionar com um livro, e é uma pena que isso tenha acontecido com você.

    Beijos.

    ResponderExcluir
  11. Não peguei o livro porque achei a sinopse meia estranha e lendo sua resenha percebi que fiz uma boa escolha.
    www.belapsicose.com

    ResponderExcluir
  12. oie, eu já li esse livro há anos na edição de portugal mas pretendo reler na versão brasileira já que danielle é uma das minhas divas, mas não lembrava da gravidez e é uma pena ela ter feito essa colocação de gratidão ao estuprador, mas que bom que o resto te agradou e a escrita da autora também.

    ResponderExcluir
  13. Olá Angélica, nunca li nada da autora Danielle Steel, mas saiu esse livro fiquei curiosa com o teor da história, sua analise sobre ele é muito importante para os fatos que autora não soube conduzi-los, mas mesmo assim quero ler e conhecer mais dessa autora.

    ResponderExcluir
  14. "E em certo momento do livro, a autora diz que de certa forma Annabelle sempre seria grata ao estuprador por ter tido a filha" Você não sabe como meu queixo caiu lendo isso. Já li um livro onde a mulher é estrupada e tem um filho, dois livros na verdade, mas as autoras souberam conduzir tudo muito bem e ficou muito bom. Os autores precisam entender, pelo amor de Deus entendam logo, que o estupro é algo sério e não deve ser tratado como uma forma de entretenimento nos livros e sim aprendizado. Enfim, obrigada pela resenha, pois eu já irei passar longe do livro.
    Mil beijos.

    ResponderExcluir
  15. Nunca li nada da autora, mas eu fiquei sabendo que a autora meio que exagera em tudo q acontece com a vida da protagonista, coitada.
    Esse lance do estupro foi osso e ainda mais ser grata ao cara q fez isso, viajou mtoooo e mandou mto mal, afff..
    nao sei se leria, viu?!

    Livros e Sushi • Facebook InstagramTwitter

    ResponderExcluir
  16. Oi Angélica, nunca li nada da autora e também não resisti em ler o spoiler, e sim, concordo com você! Com certeza a história teria outra dimensão se a autora não tivesse colocado Annabelle com esse pensamento.
    Bjim!
    Tammy

    ResponderExcluir
  17. Nunca li nada dessa autora, eu li a sinopse e achei beemm legal, embora tenha parecido meio corrido com uma coisa acontecendo atrás da outra, mas ainda assim me interessei. Não li sua parte em vermelho então não consegui entender porque foi decepção... enfim, rs. Flores no Outono 

    ResponderExcluir
  18. Olá,
    Eu li o spoiler, porque não lerei o livro e estava curiosa quanto a sua resenha hahahaha
    E concordo plenamente com você, tinha muitos jeitos de ter acontecido o que aconteceu sem colocar essa tragédia no meio, realmente decepcionante.

    http://euinsisto.com.br

    ResponderExcluir
  19. Oi Angélica.
    Eu já li uns dois livros da autora e adorei!
    Ela trabalha super bem a questão da superação e a tragédia, sempre muito emocionante suas histórias. Eu fiquei curiosa com ler esse livro, então preferi evitar o spoiler hehehe
    Ótima resenha.

    Beijos
    http://aventurandosenoslivros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  20. NOSSA, que enredo infeliz, não? Li o spoikler porque já não estava interessada no livro e agora, muito menos. Agradecida? Sério? Meu deus...

    ResponderExcluir
  21. Oi Angélica, sua linda, tudo bem?
    Estou curiosa para saber porque o casamento dela não aconteceu e ainda terminou dessa forma que a comprometeu. Eu li a resenha inteira, acho que a autora pesou a mão realmente, e que ela agradecer é demais para mim. Ela amar é compreensível, mas agradecer não. Confesso que desanimei com esse livro. Gostei muito da sua sinceridade, sua resenha ficou ótima!!!
    beijinhos.
    cila.
    http://cantinhoparaleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  22. Angie mulher que negocio tenso.
    Olha eu me interessaria pelo livro por ser histórico e por ter a parada do titanic, mas essa parte do estupro foi de doer, viu?
    Tipo a autora poderia ter até ter feito a personagem se afeiçoar a criança, que é inocente e não tem nada a ver.
    isso acontece.
    mas daí dizer que ela foi grata ao estuprador já é demais, né?
    Pelo amor

    ResponderExcluir

Google+ Followers

Tecnologia do Blogger.