sábado, 1 de abril de 2017

Resenha: Conquistada Por um Visconde, Stephanie Laurens

Título: Conquistada Por um Visconde
Título Original: Viscount Breckenridge to the Rescue
Autora: Stephanie Laurens
Editora: Harper Collins Brasil
Páginas: 368
Compre: Amazon | Saraiva
Livro cedido pela editora
Londres, 1829. Decidida a escolher seu próprio herói, um que a deixe completamente extasiada e pronta para a felicidade conjugal, Heather Cynster declina convites para os bailes conservadores da aristocracia londrina e busca aventuras fora de seu círculo social. Ao ultrapassar as fronteiras de seu mundo seguro e comparecer a um sarau oferecido por uma dama de reputação duvidosa, Heather acaba entrando na cova de leões. Mas seus planos de independência são arruinados quando encontra, no meio do salão, o enervante Visconde Breckenridge. Amigo dos Cynster e, principalmente, dos irmãos de Heather, ele a toma pelo braço e a leva até a carruagem. Mas seus esforços são inúteis. A poucos metros de entrar no carro, Heather é interceptada e sequestrada por inimigos ocultos que buscam vingança contra os Cynster. Agora, o arrojado Visconde terá de provar que é realmente o herói que Heather tanto almeja... Escrito com maestria, paixão e toques de humor, Conquistada por um visconde é uma trama inesquecível, que deixará o leitor querendo mais após a última página. Composta por Stephanie Laurens, considerada a sucessora de Georgette Heyer e a principal referência de muitas escritoras de sucesso, seus romances têm como cenário a alta sociedade de Londres do período regencial. Conquistada por um visconde é a escolha certa para os fãs de narrativas cujos personagens são damas audaciosas arrebatadas por nobres sedutores.
Conquistada Por um Visconde foi o primeiro livro da Stephanie Laurens que li e gostei bastante!

As mulheres da família Cynster não tem o hábito de se casar por outro motivo que não seja amor. E com Heather não é diferente.
Aos 25 anos ela está em busca de seu herói, o homem que irá balançar seu coração, mas como não encontra tal homem nos salões de baile que costuma frequentar, ela resolve ir à uma festa de Lady Herford, festa essa que poderia arruinar sua reputação, porém mal chega na festa e o Visconde Breckenridge (que ela considera seu arqui-inimigo) a vê e dá um jeito de tirá-la de lá.

O Visconde Breckenridge é o mais famoso libertino de Londres, arrogante, entre outras coisas, esses são alguns dos motivos para Heather detestá-lo tanto.

Enfim, quando ele consegue tirá-la da casa para colocá-la na carruagem de volta para casa, ela dispensa sua companhia até lá, e um coche misterioso para e a leva.
Sem pensar muito, Breckenridge pega a carruagem da família de Heather e segue o coche.

Os sequestradores estavam bem preparados, inclusive com uma dama de companhia para Heather e uma história que tornaria impossível qualquer pedido de ajuda da parte dela.
Só que eles não contavam que estavam sendo seguidos, e nem com a perspicácia de Heather que insiste em conseguir informações sobre o motivo do sequestro.

Breckenridge os encontra e segue de perto, e muitas são as oportunidades para uma fuga, mas Heather quer saber mais e mais e se recusa a fugir antes de conseguir informações que sejam úteis para proteger suas irmãs e primas.


Boa parte do livro se passa durante a viagem rumo à Escócia, e Heather descobre que quem encomendou seu sequestro foi um misterioso proprietário de terras escocês, mas nem seus captores sabem muita coisa sobre ele, e também temos as diversas interações dela com Breckenridge planejando a fuga, qual será a melhor ocasião e rota para realizá-la.

O mistério sobre o mandante do sequestro segue durante o livro todo, não sabemos o nome real, e as motivações dele são reveladas no final do livro, e mesmo assim deixa uma interrogação sobre o que acontecerá a seguir, ou seja no próximo livro.

Heather é uma mocinha determinada, teimosa e que prefere moldar seu próprio destino em vez de ceder às convenções da sociedade.
Breckenridge é arrogante, protetor, e mesmo assim respeita a vontade de Heather em permanecer com os sequestradores para obter informações, mesmo que coloque em risco as chances de fuga.

Em alguns momentos a leitura ficou um pouco lenta por causa das descrições, a pouca mudança de cenário, e até uma cena de amor entre os personagens que durou umas 10 páginas, mas mesmo assim eu adorei o livro.

Não li tantos romances de época pois faz pouco tempo que comecei a ler, e este foi bem diferente dos que li até agora, com a mocinha sendo sequestrada logo no início, e todo o mistério que fica no ar, até a expectativa que surge quando o tal proprietário de terras aparece.

A narrativa em terceira pessoa é bem gostosa apesar de ficar um tanto arrastada em alguns momentos, mas isso não muda o fato do livro ser muito bom!

Já estou terminando a leitura do segundo livro, e posso adiantar que até o momento está superando este!
Ela fora à procura de um herói.
E o encontrara.
Ele definitivamente não era o herói que ela imaginara encontrar, mas ainda assim o era.

12 comentários:

  1. Oi, Angélica ><
    Achei bem fofa essa história. Ta, tem sequestro, o cara é um libertino. Mas ela aos 25 anos ainda procurando a pessoa ideal e acreditando em heróis? Praquela época, ela já deveria estar casada e com filhos, achei a protagonista independente nesse quesito, e com certeza leria esse livro.

    Abraços

    ResponderExcluir
  2. Olá!
    Eu estou doida pra ler esse livro. Eu amo romances de época e as editoras estão investindo pesado nesse gênero trazendo preciosidades pra nós leitores.
    Espero que eu aproveite tanto quanto você essa misteriosa leitura.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Tive uma fase que devorava em um dia romances de época, faz tempo que não leio romances assim. Sua resenha me bateu saudade, apesar que acho a maioria bastante previsível rs
    Vou voltar pra ler a resenha do segundo volume.
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Estou querendo muito conhecer esta série e espero gostar. Curiosa por conta desta maluquice de sequestro, e espero que tenha um bom fundamento para o ato em questão.
    Bjs

    ResponderExcluir
  5. Olá Angelica,tudo bem?
    Que linda a sua resenha, parabéns!
    Eu ainda não tive a oportunidade de ler esse livro, mas ele já está na minha lista de leituras. Adoro romances de época e pela sua resenha será uma leitura que me agradará bastante. Vou aproveitar e já adquirir o segundo também já que para você está melhor que o primeiro.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Olá. Tudo bem
    Eu não sou de ler romance de época..
    Eu duro quando o livro e muito descritivo pois acho que deixa a leitura cansativa de mais.

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem? Sim de fato, Salva Por Um Cavalheiro é MIL vezes melhor que Conquistada, mas acho que isso se dá mais pelo mérito do amadurecimento da escrita da autora, e da personalidade dos personagens. Confesso que gosto bastante da questão de a Stephanie ser bem descritivas nas cenas, mesmo a cena de amor durando 10 páginas haha Acho que isso dá a graça dela ser diferente do que vemos e muito no mercado de romance de época. Ela me lembrou bastante a Diana, que é uma das minhas autoras favoritas do gênero. Acho que ai entra a questão de gosto. Ótima resenha!
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com

    ResponderExcluir
  8. Não sei... Fiquei meio confusa! Sem saber se gostei ou não da temática. Por isso não fiquei muito interessada. A capa é linda! Vou esperar saber sobre o segundo livro para ver se desperta meu interesse. Termina logo de ler e faz a resenha que eu estou curiosa. rsrs Um abraço pra ti!

    Eliziane Dias

    ResponderExcluir
  9. Oi!
    Gosto muito de romances de época, principalmente quando eles tem uma protagonista forte e de personalidade, como parece ser o caso. Gostei muito da premissa e sua resenha me deixou bem curiosa quanto aos acontecimentos do livro, principalmente sobre o sequestrador.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  10. Ai, sinceramente, não gosto nada, nada desses romances de época escritos por autoras atuais, sério. Toda resenha que leio, parece ser sempre a respeito das mesmas personagens com as mesmas motivações, nossa, acho tão enfadonho! Mas entendo que da mesma forma que adoro Machado de Assis e várias pessoas detestam e eu não entendo, o mesmo acontece nesse caso.

    ResponderExcluir
  11. Olá, eu gosto muito de romances de época, mas ainda não li esse livro. Achei interessante isso de a mocinha ser sequestrada e parte da trama se passar enquanto ela tenta descobrir as motivações do rapto, realmente é algo bem diferente dos demais livros do gênero que já li.

    ResponderExcluir
  12. Oi, dentre os romances de época, tá ai um que eu ainda não tinha ouvido falar. Parece ser muito bom.
    Gostei da resenha, suas considerações e da dica, obrigada.

    Bejokas da Quel ¬¬

    ResponderExcluir

 
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Copyright © A. Libri | Layout e personalização por VR Design